%PM, %11 %818 %2017 %18:%Out

Suinocultores capixabas recebem treinamentos em Bem-Estar Animal

Avalie este item
(0 votos)

Colaboradores da terminação e transportadores de suínos das granjas do Espírito Santo participaram no dia 04/10, na Casa do Adubo em Venda Nova do Imigrante do "Treinamento em Bem-Estar Animal Aplicado o Embarque e Transporte de Suínos", enquanto gerentes e líderes dos setores de descarga, recepção, controle de qualidade e abate (insensibilização até a inspeção) dos frigoríficos Zucoloto em Viana, Mosquini em Vargem Alta e Cofril em Atílio Viácqua participaram nos dias 3, 5 e 6 de outubro, do “Treinamento em Bem-Estar Animal Aplicado a Recepção e Abate de Suínos com Garantia de Qualidade”.

 

Os treinamentos têm como base o conteúdo das Cartilhas de Bem-Estar Animal na Produção de Suínos produzidas pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), divididas nos módulos “Toda a Granja, Transporte e Frigoríficos”.  As consultorias e os treinamentos foram ministrados pelo médico veterinário Dr. José Vicente Peloso e fazem parte das ações da “Semana Nacional da Carne Suína”, que acontece do dia 26 de setembro a 12 de outubro. As ações são promovidas pela ABCS em parceria com a Associação de Suinocultores do Espírito Santo (ASES). Ao todo foram capacitadas mais de 60 pessoas.

 

No treinamento com ênfase no transporte dos animais, o palestrante abordou as boas práticas relacionadas à condução dos suínos, da granja até o frigorífico onde ocorre o abate do mesmo. Já nos frigoríficos, onde foi realizado o treinamento com enfoque nas melhores práticas dentro dos estabelecimentos, houve inicialmente a consultoria, onde o médico veterinário pôde observar os processos de abate de cada empresa, para que em seguida, durante a palestra fossem feitas considerações sobre possíveis melhorias que poderiam ser implementadas com o objetivo de potencializar as boas práticas relacionadas ao bem-estar animal.

 

 

BEA VNI

Participantes do treinamento com enfase em transporte - Venda Nova do Imigrante

 

 

BEA ZUCOLOTO

Participantes do treinamento com enfase em Frigoríco - Frigorífico Zucoloto (Viana)

 

 

BEA MOSQUINI

Participantes do treinamento com enfase em Frigoríco - Frigorífico Mosquini (Vargem Alta)

 

 

BEA COFRIL

Participantes do treinamento com enfase em Frigoríco - Frigorífico Cofril (Atílio Vivácqua)

 

O palestrante afirmou que independentemente da escala de produção dos frigoríficos, seja considerado pequeno, médio ou grande, as recomendações sempre terão como base a aplicação das normas e das melhores práticas de bem-estar animal. “Nós não diferenciamos frigoríficos grandes de pequenos porque todos eles têm em comum o suíno e este deve ser bem tratado em qualquer condição. O tipo de treinamento que é aplicado nas indústrias do Espírito Santo, assim como nas demais indústrias Brasil a fora é o mesmo. A única diferença talvez seja o peso de abate, mas nem sempre isso é verdadeiro, o que torna ainda mais semelhante o tipo de treinamento e o tipo de aproveitamento e de resposta que nós queremos obter após o treinamento. Ou seja, é exatamente a aplicação prática desses conceitos que na verdade geram bem-estar, mas também a melhoria da qualidade do produto do frigorífico. Quando você melhora a qualidade você aumenta a atratividade do produto e conseqüentemente você aumenta o seu faturamento”, disse.

 

Dr. José Vicente Peloso afirma ainda que o objetivo maior dos treinamentos é desenvolver as melhores práticas de bem-estar animal, tendo como base as metodologias mais atuais que vem sendo aplicadas ao redor do mundo. “Essa é a nossa intenção, a conscientização através da informação e do esclarecimento para todos os funcionários, independente de seu cargo ou função dentro da rotina de produção, para que eles tenham isso muito claro, de uma maneira fácil de ser entendida e de ser aplicada. O que nós queremos gerar como resultado é um frigorífico que não tenha nenhuma restrição com relação à comercialização do seu produto perante o público consumidor ou até mesmo o público internacional relativo a praticas e rotinas de bem-estar animal. Saio daqui muito satisfeito com o que vi, com o que aprendi e com o que ensinei com o apoio da ASES”, finaliza.

 

Flávio Meroto, gerente da Granja São José acredita que treinamentos dessa natureza promovem grandes melhorias no processo produtivo. “Com relação ao bem-estar animal no transporte de suínos nós já temos evoluído bastante, diminuído o número de mortes, inclusive com a troca de nosso caminhão por um mais moderno, além do manejo dos animais sendo feito com muita calma, paciência, sem a exigência de pressa de nossos colaboradores neste quesito. A condução desse animal de maneira tranqüila faz com ele fique menos estressado, o que torna mais fácil todo o procedimento, aumentando assim a sua eficiência. Os conhecimentos obtidos através de treinamentos como esse nos auxiliam a agregar mais valor a produção, através da implementação de novas tecnologias e procedimentos que venham a melhorar as rotinas diárias dentro da granja”, afirmou.

 

Marcelo Mosquini, gerente do Frigorífico Mosquini associou a importância da consultoria de bem-estar animal a obtenção da melhoria contínua do processo de abate. “Essa consultoria vem de encontro as nossas necessidades porque sempre existem pontos críticos a melhorar. No momento da consultoria já foi possível identificar um determinado procedimento em nosso abate, algo que na visão do consultor poderia ser melhorado. A implementação desta melhoria já trouxe resultados positivos instantaneamente. Durante a palestra, a explanação do consultor foi excelente, houve grande participação dos funcionários que puderam fazer questionamentos ao palestrante que respondeu com profundidade tudo o que lhe foi perguntado. Fica clara a necessidade de melhoria gradativa nos processos tanto nas empresas pequenas como nas grandes, melhorias que ocorrerão através de novas adequações que faremos no processo produtivo”, disse.

 

Para Giovani Reis Stafanato, Encarregado de Controle de Qualidade do Frigorífico Cofril, o treinamento é muito válido para o dia-a-dia dos colaboradores. “Hoje o bem-estar animal tem sido cobrado com muita intensidade, tanto pelos órgãos fiscalizadores, como pelo público consumidor, e neste sentido estamos em constante busca de melhorias. A não adequação pode trazer prejuízos tanto para empresa como para o produtor. A palestra foi bem esclarecedora e esperamos por em prática tudo aquilo que foi aprendido por meio desta capacitação”, disse.

 

Fonte: ASES  

Última modificação em %PM, %11 %836 %2017 %19:%Out