%PM, %04 %692 %2018 %15:%Jan

Carne de frango e suíno em alta no Brasil

Avalie este item
(0 votos)

 

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) anunciou números positivos para o setor de carne de frango e suína. As receitas cambiais das exportações brasileiras da avicultura (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) somaram US$ 7,236 bilhões nos doze meses do ano passado, o que representou alta de 5,7% frente a US$ 6,848 bilhões em 2016.

Já em volume, foram embarcadas 4,320 milhões de toneladas, o que significa decréscimo de 1,4% sobre 2016, quando o setor exportou 4,383 milhões de toneladas. Apenas no último mês de 2017 o setor embarcou 321,5 mil toneladas de carne de frango, saldo 11,2% inferior ao obtido no mesmo período de 2016, com 362,1 mil toneladas. Em receita, houve retração de 8,6%, com US$ 523,8 milhões – em dezembro de 2016, foram US$ 573 milhões.

 

“Os resultados estão conforme a previsão da ABPA para o ano, com melhor desempenho em receita, mesmo com uma leve queda nos volumes embarcados. O mercado internacional segue pressionado, favorecendo os preços dos produtos. O fato de nunca ter registrado Influenza Aviária em seu território, de manter boas relações diplomáticas com os mercados internacionais e de ter, novamente, comprovado ao mundo a qualidade de seus produtos foram primordiais para o desempenho do setor no ano”, analisa Francisco Turra, presidente-executivo da ABPA.

SUÍNO

Os embarques de carne suína (in natura) totalizaram US$ 1,465 bilhão em 2017, um saldo que supera em 8,6% o desempenho registrado no ano anterior (US$ 1,349 bilhão). Em termos de volume, houve queda de 5,7%, com 592,6 mil toneladas no ano passado, contra 628,3 mil toneladas em 2016.

 

“Os resultados das exportações de carne suína in natura em dezembro foram favorecidos pelos bons níveis de embarques para Hong Kong, China, Argentina, Chile, Albânia e Georgia, diminuindo o efeito das retrações em volumes registradas em determinados períodos do ano e melhorando ainda mais o saldo cambial das vendas”, explica Ricardo Santin, vice-presidente de mercados da ABPA. 

 

Fonte: Agrolink