Quinta, 26 Março 2020 17:51

ASES participa do Encontro Estratégico de Lideranças do Sistema ABCS Destaque

Avalie este item
(1 Voto)

 

Iniciando o calendário de eventos da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), a ASES marcou presença no Encontro Estratégico de Lideranças do Sistema ABCS, realizado pela entidade nacional entre os dias 10 e 11 de março, no hotel Brasília Palace, em Brasília.

 

O evento, que teve como intuito atualizar as afiliadas sobre as principais tendências de mercado e discutir os desafios sanitários, além das oportunidades e desafios para a suinocultura em 2020, contou a presença presidentes, representantes políticos e de entidades ligadas à suinocultura, além dos gestores de dez associações estaduais e três regionais. A ASES teve como representantes o seu diretor-executivo, Nélio Hand, e sua coordenadora técnica, Jussara Moreschi.

 

ee2470f0 7f24 487d 9dfb fd3b7e8c9e79

 

Para abrir o ciclo de apresentações, o palestrante convidado foi o médico veterinário com PHD em epidemiologia experimental pela USP, Dr. Maurício Dutra. O especialista abordou diversos temas, como a disseminação da Peste Suína Africana (PSA) no mundo, os principais impactos no rebanho, atualizações sobre o status da doença na Europa e Ásia, os focos encontrados e as medidas de prevenção e controle a serem tomadas no momento atual.

 

Em seguida, foi a vez do consultor da ABCS, Iuri Machado, apresentar um panorama do mercado, trazendo dados atuais do balanço de 2019 para a suinocultura e a influência dos eventos na China no mercado mundial e no mercado brasileiro. Ele também destacou a redução do rebanho suíno na China devido à PSA, a produção em queda, o aumento da importação e também os impactos do Coronavírus nesse contexto.

 

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé

 

Iuri também enfatizou que, no Brasil, o crescimento da produção de suínos nos próximos anos deve se ancorar na busca de novos mercados de exportação e, principalmente, no aumento do consumo per capita do mercado doméstico.

 

Ressaltando a forma transparente do trabalho da ABCS, a gerente administrativo financeira da entidade, Cássia Campagnaro, apresentou os resultados financeiros de 2019. Segundo a mesma, a gestão do ano passado foi muito eficiente e permitiu um resultado positivo. “Esse trabalho teve esse resultado devido à gestão mais próxima do conselho de administração, a participação do presidente foi fundamental e esse cuidado que a gente tem mês a mês de avaliar receitas e despesas. A ABCS está caminhando forte para conseguir se manter e crescer ao mesmo tempo e isso tudo é possível junto com os outros projetos, o FNDS, as parcerias, essa soma de todos os trabalhos que trazem esse resultado positivo”, destacou Cássia.

 

Aspecto técnico-político em pauta

 

A diretora técnica da ABCS, Charli Ludtke, abordou o bem-estar animal e enfatizou que para assegurar o consumo de uma carne suína brasileira de qualidade é necessário trabalhar fortemente com essa questão, citando também a necessidade da publicação da Instrução Normativa (IN) sobre o tema. “Temos que ficar atentos às exigências do mercado consumidor e ver a melhor forma de nos adequar a elas”, disse Charli.

 

Ela também relatou sobre o trabalho da entidade nacional junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e também ao Serviço Veterinário Oficial (SVO), levando informação aos produtores quanto às ações para preservar a saúde dos rebanhos. Outra questão que entrou em debate foi o status da Peste Suína Clássica (PSC) no Brasil, os novos focos e os grupos de trabalho formados para executar o Plano Estratégico Brasil Livre de PSC.

 

As oportunidades e desafios na área política também tiveram espaço no evento. As consultoras de relações governamentais da ABCS, Luciana Lacerda e Ana Paula Censi, discutiram sobre as principais iniciativas do governo em relação ao agronegócio e as prioridades da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e do MAPA para 2020. Também foram debatidos os impactos das eleições municipais deste ano para os suinocultores e os desafios nesse sentido.

 

Comunicação e marketing

 

Para 2020, a ABCS prepara muitas novidades, nos setores de marketing e comunicação. A entidade já lançou a nova Cartilha de Churrasco e apresentou as novas ações que serão desenvolvidas ao longo do ano. A diretora de marketing e projetos da entidade, Lívia Machado, compartilhou com os presentes as tendências de alimentação dos brasileiros, falou também dos resultados que a ABCS gerou ao longo dos últimos 10 anos e da importância das parcerias com o Sebrae e das contribuições do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS).

 

Já a consultora de marketing estratégico, Danielle Sousa, mostrou a todos os novos materiais preparados com muito empenho pelo setor de comunicação. Além disso, foi anunciada a reformulação do site da ABCS, que será lançado no próximo mês maio; o novo formato da Revista da Suinocultura, que agora é digital; e o uso da ferramenta Keeva para armazenagem e busca de conteúdos e a nova identidade do registro genealógico. “Queremos multiplicar os resultados da suinocultura, estamos muito dispostos a construir juntos”, afirmou Danielle.

 

f2365aa9 bb80 4e37 8316 3ecb79ef3205

 

O encontro foi encerrado com a eleição das demandas prioritárias do sistema para 2020, conduzida pelo presidente da ABCS, Marcelo Lopes. Na ocasião, houve espaço para debate e exposição de opiniões dos presidentes e gestores das afiliadas presentes no evento. A gestão da ABCS ganhou um feedback positivo e também a iniciativa dos Workshops sobre doenças virais de importância na produção de suínos, que levaram conhecimento aos produtores.

 

Diretor da ASES faz um balanço do evento

Presente durante os dois dias do encontro, o diretor-executivo da ASES, Nélio Hand, destacou a importância dessa integração com as outras entidades estaduais que foi proposta pela ABCS. “Os encontros das lideranças da suinocultura brasileira nos últimos anos tem propiciado a integração entre as entidades estaduais e regionais com a nacional e isso nos dá um norte muito importante para condução do nosso trabalho. Um ponto de que chama a atenção este ano é o fortalecimento do FNDS, tanto pelas ações que são crescentemente realizadas em prol da suinocultura, quanto em relação à sustentação desse trabalho. O suinocultor brasileiro está vendo que vale a pena investir em ações de conscientização e marketing para mostrar o real valor de seu produto junto ao consumidor”, destacou o diretor-executivo.

Última modificação em Quinta, 26 Março 2020 21:23