Terça, 26 Julho 2022 19:01

SNCS 2022 gera impacto de R$5,4 milhões para as granjas no período da campanha

Avalie este item
(0 votos)

Incluir mais carne suína no carrinho dos consumidores é parte dos resultados obtidos pela Semana Nacional da Carne Suína (SNCS), iniciativa da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS). Este ano, em sua décima edição, a SNCS impulsionou a venda de 600 mil quilos de carne suína adicionais no período de 15 dias. Esse número representa um impacto de R$5,4 milhões de receita para as granjas produtoras, e o  equivalente a 6.500 animais processados, gerando ganhos para toda a cadeia. Os dados são da ABCS, com informações do IBGE e SECEX.

 

Ao longo dos 10 anos de atuação, a SNCS se consolida como estratégia de aumento do consumo no mercado interno e impacta positivamente nos elos da cadeia da suinocultura, por unir os produtores ao varejo e aos consumidores. Em quase uma década no incentivo do consumo da carne suína foram gerados mais de R$8 bilhões, transformados em valor de produção nas granjas.

 

A longo prazo, a SNCS impactou também no aumento do consumo de carne suína no Brasil. De acordo com dados do IBGE e SECEX, os brasileiros consomem agora cerca de 1 quilo e meio de carne suína por mês, absorvendo 80% de toda a produção nacional, o que  equivale a mais de 320 mil toneladas do produto.

 

Um número bastante significativo, visto que o Brasil é o 4° maior produtor do mundo. Outro dado importante é o consumo anual da proteína no país. Ao ano, o brasileiro consome 18,10 kg per capita. Esses dados revelam um crescimento de 32% em 9 anos. Ainda, de acordo com pesquisa junto a consumidores, é possível verificar que a cada 8,8 dias o consumidor come carne suína, sendo as maiores frequências no almoço e jantar (Rojo,2019).

 

O foco da SNCS é inserir a carne suína na lista de compras da população, instituindo o hábito do consumo. Um desafio que tem trazido grandes resultados, principalmente em regiões como Nordeste. Nesta edição da SNCS, a região alcançou resultados expressivos com lojas que ampliaram em mais de 126% o volume de carne vendida. Estados como Bahia, Maranhão e Rio Grande do Norte foram exemplos que apresentaram crescimento em volume, se apresentando também como uma oportunidade para frigoríficos.

 

As medidas tomadas para valorizar a proteína suína mostraram resultados como os demonstrados pelo IBGE e SECEX. Durante os últimos anos, houve grande investimento em aumentar a oferta de carne suína, melhoras na qualidade do produto, um bom atendimento na hora da venda, aplicação de preços competitivos e disponibilização de cortes variados e mais adaptados ao cotidiano dos consumidores.

 

Esses são os ganhos do esforço conjunto da cadeia e que é ampliado com todas as ações da Semana Nacional. Essa medida tem como objetivo mudar o hábito dos consumidores, esclarecer sobre os benefícios da proteína em campanhas que chegam de Norte a Sul do país e disseminar orientações para preparo e dicas em diversos canais de comunicação.

 

Fonte: Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS)