Segunda, 11 Janeiro 2021 22:56

Suínos/China: preços futuros caem mais de 12% em primeiro dia de negociação

Avalie este item
(0 votos)
Os contratos futuros de suínos vivos tiveram seu primeiro dia de negociação na sexta-feira (8) na Bolsa de Dalian, na China, e fecharam em queda de mais de 12%. O contrato de suínos vivos é resultado de um esforço de quase 20 anos para a criação de um mecanismo transparente de precificação para um dos produtos agropecuários mais valiosos do país.
 

A queda dos preços futuros reflete a expectativa de que a população de suínos da China - a maior do mundo - continuará se expandindo depois de ter sido dizimada por surtos de peste suína africana em 2018 e 2019. A China tem mais de 370 milhões de suínos e é também o maior consumidor mundial de carne suína.

 

Nos últimos dois anos, os preços médios à vista dos suínos vivos dispararam e oscilaram amplamente, influenciados pelos preços que os criadores chineses recebem quando levam seus animais para abatedouros locais. Os novos contratos permitirão aos criadores transferir o risco das flutuações de preços e controlar sua escala de produção com base nas expectativas de oferta e demanda futuras, disse a Bolsa.

 

Nos últimos 18 meses, a indústria de suínos da China viu o crescimento de grandes granjas corporativas que têm tido mais sucesso em manter a peste suína africana sob controle. Sua presença também aumentou a necessidade de mecanismos mais sofisticados para proteger seus ganhos.

 

"A China está se movendo em direção a essa operação profissional, industrial e comercial para suínos e eles precisam ter um mercado para dar sinais de preços", disse Darin Friedrichs, analista sênior de commodities para a Ásia da StoneX.

 

Diferentemente dos futuros de suínos negociados na Bolsa de Chicago (CME), os contratos futuros na Bolsa de Dalian exigem liquidação física - ou seja, detentores de contratos na data de vencimento precisarão receber os animais. A medida tem como objetivo reduzir a especulação de preços. Cada contrato corresponde a 1 tonelada. Fonte: Dow Jones Newswires.

 

Fonte: Agência Estado