Quinta, 07 Outubro 2021 19:34

Mobilidade na BR-262: uma solução que começa a se desenhar

Avalie este item
(0 votos)

 R1 1

 

“Estamos dando o primeiro passo rumo a uma grande solução de mobilidade”. Com esta frase, o superintendente do Transcares, Mario Natali, resumiu o resultado da segunda reunião que está discutindo o tráfego e a segurança na BR-262. Desta vez, o encontro aconteceu no sindicato, em Jardim América, quarta-feira, 6 de outubro, para ouvir os setores produtivos que utilizam a rodovia. E tudo caminha para uma decisão que tende a atender todos os lados: inversão de pista em sete quilômetros, entre a Pousada Vista Linda e o Rio Jucu, feita por meio de coneamento. A ideia é que a inversão aconteça aos domingos, das 13 às 19 horas, e neste momento sem qualquer restrição. O próximo passo é uma reunião do grupo com os prefeitos de Viana, Wanderson Bueno, e Domingos Martins, Wanzete Krüger, que estão cientes das discussões e já se mostraram a favor do movimento.

 

O encontro desta semana reuniu, além do Transcares, representantes da Fetransportes, da Polícia Rodoviária Federal, de grandes plantas industriais, de entidades de classe produtiva e de transportadoras capixabas, além do presidente da Fecomércio, José Lino Sepulcri, que puxou a discussão em atendimento a empresários da região das montanhas capixabas, que são recorrentes em reclamações acerca das dificuldades relacionadas ao fluxo da rodovia, principalmente nos finais de semana e feriados, quando os carros de passeio se misturam aos veículos pesados.

 

Ao contextualizar o cenário que resultou na discussão, José Lino Sepulcri lembrou que num dia de semana, a viagem entre Domingos Martins e Vitória dura cerca de 40 minutos. Mas que em finais de semana o tempo pode chegar a 2h30. “A região das montanhas recebeu um fluxo muito grande pessoas durante a pandemia. Muitas se mudaram para lá. É muita gente se locomovendo no trecho e há dias em que o tráfego fica inviável”, argumentou.

 

R1 2

 

Embora a pauta central deste encontro e do anterior, realizado na sede da Polícia Rodoviária Federal – tenha nascido no sentido de melhorar a trafegabilidade, o assunto desemboca em outro, na segurança dos usuários. Superintendente-executivo da PRF e representante do superintendente regional do Estado, Amarílio Boni, o inspetor Ricardo Alves admitiu conhecer o problema da BR 262, voltou a colocar a corporação à disposição na busca por soluções da melhoria da mobilidade na via, mas também destacou a necessidade das propostas focarem, em primeiro lugar, na segurança viária.


A proposta de inversão de pista com coneamento e sem restrição, pelo menos neste primeiro momento, foi uma unanimidade entre os participantes após as colocações de representantes dos setores produtivos – como Leonardo Conde, da Suzano, Nélio Hand, diretor-executivo da Ases (Associação de Suinocultores do Espírito Santo) e Flávio Fernandes, da Transuíça. E o grupo, agora, aguarda a reunião com os prefeitos para “bater martelo” e marcar o início da “operação”, que nasce, como bem disse, Sepulcri, da boa vontade e do diálogo.

 

“Todos nós sabemos que a solução ideal para a complexidade que cerca a BR 262 é a duplicação. Mas estamos com um problema que precisa de um paliativo e fico feliz que o caminho que esteja se desenhando seja este destacado do José Lino, da compreensão, da parceria e do diálogo. Temos que dar o primeiro passo e avaliar o que vai acontecer. Mas este primeiro passo é importantíssimo!”, conclui Mario Natali.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Transcares - Anna Carolina Passos

Última modificação em Quinta, 07 Outubro 2021 19:45